segunda-feira, 12 de julho de 2010

"Falando com Deus no Jardim"

“Naquele dia, quando soprava o vento suave da tarde, o homem e a sua mulher ouviram a voz do Senhor Deus, que estava passeando pelo jardim...” Gênesis 3:8ª

A bíblia nos conta que Deus, em seu amor, criou um santuário. Um Jardim, no qual Ele colocou o homem e a mulher para viverem em comunhão e paz com Ele.

Vou contar-lhe ou lembrar-lhe rapidamente desse maravilhoso Jardim...

Era o Jardim do Éden, que foi chamado de Éden, pois em hebraico esse nome expressa um local de “prazer” e “deleite”, ou seja, um paraíso.

Naquele paraíso, Deus colocou animais para que o homem cuidasse, diversas espécies de plantas, um rio que saía do Éden e regava todo o Jardim e ainda, colocou “toda sorte de árvores frutíferas”. Suponho então que um banquete permanente estava à disposição do homem. A árvore da “Vida Eterna” também estava lá, no jardim.

Que lindo lugar deveria ser esse!

Além disso tudo, nesse jardim, todas as tardes, acontecia algo ainda mais exuberante: Soprava o vento suave e o Senhor Deus passeava para conversar com o homem e a mulher, conforme está escrito no versículo inicial.

Imagine que honra e privilégio para os primeiros seres humanos, o de poder conversar com Deus pessoalmente, de ter essa certeza de que Ele passaria pelo Jardim todo fim de tarde para “bater um papo” e saber como tinha sido o dia daquele homem e daquela mulher. Imagino Deus perguntando: “Olá amados, como foi o dia hoje?” E lágrimas me vêm aos olhos...

No entanto, Deus tinha dado uma ordem, pois no mesmo lugar havia uma árvore diferente, a árvore do conhecimento do bem e do mal, do conhecimento infindável, cujo fruto, quando comido, tornava o homem auto-suficiente , tentando assim, conhecer todas as coisas como Deus.

A ordem de não comer desse fruto, foi desobedecida e o pecado a partir daí entra na vida do homem. A afronta a Deus se inicia e com ela o sentimento que faz com o que homem queira sempre se engrandecer e se esqueça de dar a honra que só ao Pai é devida. Gên. 3:3-13

Que grande privilégio o homem tinha, o de conversar com o Pai, com o Criador de tudo, não é mesmo?

Já imaginou se todas as tardes marcássemos um encontro com Deus, nosso Criador, em nosso “jardim” e que não tivéssemos de que nos envergonhar?

Se pudéssemos (e podemos) falar com Ele todas as tardes e contar-lhe nossas alegrias, nossas tristezas, nossos medos, nossas angústias...

Se não tivéssemos medo, ou vergonha de chegar perto d’Ele por causa de nossos pecados e dizer-lhe “Pai, estou aqui, no meu jardim. Vamos conversar um pouco sobre o dia de hoje...”

Tenho uma história verdadeira, que me motivou a escrever esse texto de reflexão:

“Certa vez, um homem de Deus, foi convidado para apresentar um orçamento de trabalho em uma prefeitura. Como o orçamento apresentado por ele foi o melhor dentre todos, o prefeito o convidou para uma reunião.
Nessa reunião, o prefeito deixou claro, que para ganhar a licitação, o homem deveria afirmar que o valor da obra seria muito maior que o do orçamento real, assim, o prefeito ficaria com a diferença.
Mas o homem deu a seguinte resposta ao prefeito:
_ Sr. Prefeito, todas as tardes, tenho o hábito de falar com Deus, de contar a Ele tudo o que eu faço e de agradecê-lo pelo meu dia. Com que cara o Sr. acha que eu irei falar com Ele esta tarde?”


Se quiser, ore comigo:

“Senhor, gostaria de marcar um encontro contigo todos os dias em meu jardim e sei que o Senhor estará presente e será pontual. Ajuda-me para que eu faça o mesmo e, para o pecado não seja o motivo dos nossos encontros nesse jardim mas, que a comunhão contigo, a fé e a paz fortaleçam nossa intimidade. Quero entrar novamente no Jardim do Éden através do segundo Adão que Tú enviaste, Jesus Cristo, o doador da vida, Amém!”

Rachel Segatti

2 comentários:

  1. Rachel,

    Que post maravilhoso!

    Acordar neste domingo e ler um texto como estes era exatamente o que eu estava precisando.

    O trecho: "Com que cara o Sr. acha que eu irei falar com Ele esta tarde?” - nos faz refletir em cada pequena atitude de nossas vidas.

    Muito Bom, muito bom mesmo! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! ah se todos pensassem assim!

    ResponderExcluir